Nova tendência no Ethereum já atrai US$ 3,5 bilhões

1 month ago 49

Siga o CriptoFacil no Google News CriptoFacil

Uma nova tendência está agitando o mundo das finanças descentralizadas (DeFi) na rede Ethereum, e já acumula um montante de mais de US$ 3,5 bilhões em valor total bloqueado (TVL).

O interesse nessa nova prática, conhecida como re-staking, tem sido impulsionado pelo sucesso de protocolos como o Etherfi, que sozinho ultrapassa a marca de US$ 1,3 bilhão de TVL.

Outros protocolos semelhantes, como Kelp e Renzo, também têm ganhado destaque, cada um com mais de US$ 300 milhões em TVL, de acordo com dados da Dune Analytics.

O que chama a atenção nessa onda crescente é o uso em larga escala do EigenLayer, um protocolo que utiliza os fundos depositados nele para validar outras redes, gerando recompensas adicionais para os usuários além das obtidas inicialmente com o staking.

Essa plataforma permite que os usuários mantenham o controle total de seus ativos, possibilitando que apostem para obter maiores lucros enquanto mantêm acesso aos seus fundos.

re-staking no Ethereum

Basicamente, o re-staking funciona como uma infraestrutura que possibilita a integração eficiente de serviços de outros protocolos, como o Etherfi. Ao utilizar os serviços do Etherfi no EigenLayer, os usuários podem acumular pontos e recompensas adicionais.

Mas como exatamente funciona o re-staking? Ele permite que os investidores reutilizem os tokens recebidos do staking em plataformas líquidas para receber recompensas adicionais.

Os ativos digitais são bloqueados em plataformas de staking, gerando tokens derivados que são então depositados em um protocolo de re-staking. Esse protocolo, por sua vez, utiliza esses recursos para validar outras redes, gerando mais lucro para os investidores.

Embora essa tendência tenha sido saudada por muitos como um renascimento do DeFi mas, nem todos estão entusiasmados. Vitalik Buterin, cofundador do Ethereum, alertou sobre os potenciais riscos sistêmicos associados ao re-staking. Ele observa que usar a rede para outros fins além da validação de transações pode ser perigoso. Portanto, essa prática deve ser desencorajada.

No entanto, a exchange de criptomoedas Coinbase vê o re-staking como uma oportunidade promissora para impulsionar a liquidez do Ethereum, ressaltando que um ecossistema bem-sucedido pode ser uma âncora subestimada para o DeFi.

Siga o CriptoFacil no Google News CriptoFacil

Read Entire Article